terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Em lume brando



Em lume brando
Qual fogo que perdura
Sem fim à vista, lento,
Sem vontade de se esgotar
De recusar o fim anunciado
Sobrevivendo à certeza do destino
à cinza onde tudo acaba

Reencontra-se
Eleva-se ondulante em
chamas coloridas
Esmorece, renasce,
retoma o vigor

Alimenta-se da certeza
da sua utilidade
Da necessidade de viver
mantendo a lembrança

Une, vence a distância 
o tempo, a ausência
É vida!

6 comentários:

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Boa tarde, Armando
obrigada por sua visita ao meu espaço.
Seu poema é maravilhoso, dá-nos diversas possibilidades de entendê-lo,
porém depois de muitas lutas, devemos renascer das cinzas feito uma fênix.
Belíssima composição de versos. Abraço!

© Piedade Araújo Sol disse...

sim é vida!

e das cinzas renasceremos qual Fénix em esperança...

beijinhos

:)

Manuel Veiga disse...

em lume branco se aquece o pão´
antes de comê~lo, com azeite e alho ...

há sempre fogo, enquanto aquece

abraço

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Uma maravilha!
Como gosto de uma boa torrada feita no lume...
Excelente partilha!
OLHAR D'OURO - PHOTOGRAPHY
Abraço

Mar Arável disse...

O Inverno purifica a vida

Mar Arável disse...

O Inverno purifica a vida